Curvas, Oceanos e um Deserto – Conclusões

2016-01-12 16.20.38

Andei muito, muito mesmo! Como mostrado na foto acima, foram no total 9.195 km entre Brasil, Uruguai, Argentina e Chile, em todos os tipos de piso e agora, já em SP, posso tirar algumas conclusões dessa imensa aventura que certamente causará certa polêmica.

A sensação de chegar de moto ao deserto do Atacama é mais ou menos como aquela que o alpinista sente em escalar o Everest. O melhor não é o cume… o melhor é a subida!

Longe de eu não ter gostado de San Pedro de Atacama, pelo contrário, gostei muito das atrações que visitei, dos bons restaurantes e de uma empanada gigantesca que comi! Mas na verdade o que mais gostei foi de ter ido… de ter conhecido pessoas diferentes… dos desafios da estrada… da sensação de ter superado meus limites físicos e psicológicos.

Senti uma imensa sensação de superação ao final do Paso Sico, sabendo que ali eu estava totalmente fora de minha zona de conforto e o perigo se fazia presente constantemente. Posso dizer que enfrentei e venci não somente o Paso mas venci meus medos, minhas limitações. Descobri que sou muito mais capaz do que imaginava ser e este sentimento é ótimo e viciante!

Se todas as belezas do deserto estivessem a pocos kms de casa, certamente não seriam tão belas. O que faz efetivamente a beleza desse lugar é o conjunto de cenários belíssimos com a dose certa de desafio.

Muitas vezes ficamos deslumbrados com as belezas de outros Países e nos esquecemos daquelas que estão aqui pertinho de nós como por exemplo a Serra do Rio do Rastro em SC, ou a Estrada da Graciosa no Paraná ou a inesquecível São Miguel das Missões no RS. É muito comum escutarmos que aqui não há paisagens como aquelas, o que é verdade, afinal não temos aqui o deserto, ou a cordilheira, ou vulcões, mas afinal, o que é mais belo… a paisagem desértica do Vale de La Luna ou as intermináveis plantações que cercam a estrada como um tapete verde no Rio Grande do Sul? Os Geisers andinos ou as cachoeiras catarinenses? É uma questão de gosto pessoal, mas eu prefiro as brasileiras sem sombra de dúvida!

Volto a repetir… eu adorei os passeios que fiz em San Pedro de Atacama, mas acho que temos a obrigação de valorizar aquilo que nos pertence e melhorar o que for possível. Poderíamos por exemplo:

  • Copiar do Chile a condição das rodovias, a segurança pública, a educação, as empanadas! kkkk
  • Copiar de Cafayate a alegria das pessoas… a praça com incontáveis restaurantes… as vinícolas!
  • Copiar de Mendoza (e também de Santa Fé) o paisagismo urbano e a organização das vias!
  • Copiar de Buenos Aires… nada! Aqui não há nada para ser copiado! kkkk

A Região Sul do Brasil é fascinante o cuidado que as pessoas tem com a apresentação das casas, das cidades e até dos cemitérios é notável! Tudo arrumado e florido. Pessoas humildes mas sempre muito receptivas e dispostas a ajudar… Coisa que nem sempre aconteceu em outras cidades fora do Brasil.

Gostei muito do Atacama, mas gostei mais ainda do Sul do Brasil!

Se tivesse que escolher apenas uma foto para ilustrar toda essa sensacional viagem, escolheria aquela da conquista… a única que me emocionou pelo sentimento de vitória, seria esta:

Obrigado a todos por acompanhar as postagens!

22 thoughts on “Curvas, Oceanos e um Deserto – Conclusões”

  1. Ficou muito bom esse post.
    Minha esposa tem muita vontade de ir à Buenos Aires, sempre falo que não gostaria por inúmeros motivos. Vou pedir pra ela ler seus posts, quem sabe ela muda de ideia.
    Parabéns mais uma vez pela conquista e realização pessoal.
    Abs

    1. Kkkkkkk. Isso é uma opinião pessoal minha. Pode ser que você vá e goste como minha irmã por exemplo. Eu nunca dei sorte por lá, então é melhor evitar. Obrigado por acompanhar!

  2. Roberto (RoRo): primeiramente, parabéns pela bela viagem, e eu, particularmente, tive o prazer de reviver os locais e as sensações de bem-estar proporcionados a quem viaja por aí. A certeza do sucesso da viagem se mete por uma conclusão: a de querer fazer outras mais, e mais…

  3. Rromagnani, talvez duas coisas nos diferenciem. A primeira, creio, me diferencia de todo o restante da população brasileira, na qual, logicamente, você se inclui: EU OUÇO A VOZ DO BRASIL! Você conhece alguém que assume isso publicamente? Rsrsrs
    A segunda coisa é que eu e minha mulher passamos uns dias em Buenos Aires e, acredite, gostamos de lá!!
    Bom, acho melhor parar de falar sobre o que gosto, para não ser aprisionado e ser objeto de algum estudo paranormal ou extraterrestre. Rsrs
    De novo, parabéns pela superação dos desafios mostrados.

    1. Errado! Eu também sou um tanto estranho aos olhos dos outros… Ouço também a voz do Brasil (às vezes), gosto de café sem açúcar, gosto de viajar sozinho e vc. percebeu pelos relatos que gostei mais do Sul do Brasil do que do Atacama (acho que nesse ponto me superei!)

      As opiniões sobre Buenos Aires são divididas… Minha irmã adora a cidade! Eu nunca dei sorte lá… Sempre tive problemas!

      No fim vale a máxima que nós todos somos um pouco loucos, mas os motociclistas certamente são mais! Kkk

  4. Parabéns pela viagem e relato…
    Para quem pretende fazer uma viagem ainda esse ano para o Chile, SPA, foram informações preciosas.
    Em 2014, quando fui para Santiago, os preços eram bons, mas pelos relatos que tenho acompanhado, mudou muito….
    Abçs

    1. Pois é… Acabaram com a nossa moeda! A primeira vez que estive por lá, acho que em 2011 achei tudo muito barato, chegando inclusive a comprar roupas e trazer… Era menos da metade do preço! Hoje, tudo mudou… Obrigado por acompanhar e se precisar de ajuda, conte comigo!

  5. Parabéns pelo ”passeio”, realmente e um sonho viver estes perengues. Obrigado pelas postagens. Realmente descobrir que tem gente maravilhosamente loucos por esse mundo, e não somente eu. Abraço e saudações.

    1. João acredite, nós os loucos somos muitos! Encontrei vários pelo caminho… Encontrei muitos loucos brasileiros, loucos argentinos e até um louco canadense e um completamente pirado do Alaska! Kkkkkk

      Somos loucos, mas estamos aproveitando o melhor da vida! Obrigado por acompanhar!

  6. Mais uma vez parabéns pelo relato. Uma coisa que você citou que também valorizo muito nas viagens, e isso tem em qualquer lugar, são as pessoas. Gosto de passar meu tempo conhecendo as pessoas de cada lugar que eu vou, cada uma tem sua história, sua vida, sua cultura que é tão ou até mais diferente do que o lugar que nós moramos em relação ao deles, mas isso é uma riqueza cultural enorme que pra mim não pode ser despertiçada no momento que passamos por esses lugares.
    Concluindo, gostei também do seu relato sobre o sul do Brasil, é um lugar que eu gosto muito e isso me animou mais ainda para ir em uma oportunidade de um passeio mais curto.
    Abraço,

    1. Muitas vezes nos iludimos com pbjetivos distantes e fechamos os olhos para o que temos aqui. A Cordilheira é linda, mas o caminho argentino de mais de 1000 kms entre B.Aires e Mendoza não tem absolutamente nada de interessante. O mesmo digo do roteiro entre Santiago Del Estero é Santa Fé. Só nesses dois trechos são mais de 1500 kms rodados sem nada. Apenas asfalto, calor e insetos aos milhões.

      Como disse, a Cordilheira é linda… O Deserto é lindo, mas o que mais gostei da viagem foi o sentimento de superação e as paisagens do sul do Brasil!

      Obrigado por acompanhar meu amigo!

  7. RoRo, RR, rromagnani ou simplesmente Roberto,

    Irretocável o seu relato. Adorei a forma descontraído de relatar, faz a gente ficar atento a todas as palavras, sem pretender ler dinamicamente.
    Concordo com o melhor é esperar pela festa e, por analogia, o melhor é a viagem em si e não o objetivo.
    Parabéns por tudo, viagem família e a grande vedete – a moto. kkkk…
    Jotace

  8. Roberto,
    Parabens pela viagem e pelo ótimo relato, cada vez mais fico inspirado.
    Vou usar todas as informações que voce postou, e quem sabe, já está nos planos, farei a viagem no final deste ano, também iniciando no dia 26/12.

  9. Muito legal seu relato de viagem…só não concordo com a parte de Buenos Aires…essa rixinha BrasilxArgentina já não tem mais graça nem no futebol, que dirá na vida real. Já estive mais de uma vez lá e é evidente a admiração e o carinho que os hermanos têm pelos brasileiros. Sempre me senti muito bem atendido, num lugar amigável, sem problemas…Poderíamos copiar, ao meu ver, por exemplo, o excelente atendimento em restaurantes principalmente…para não ficar como aqui no Brasil onde parece que estão lhe fazendo um favor…Ah, podíamos copiar o afaljor! 🙂

    1. Obrigado pelos elogios Rafael!

      Não tenho problema nenhum com a Argentina, mas sim com Buenos Aires em especial. Talvez seja apenas preconceito meu, mas sempre tive problemas por lá então já vou com “o pé atrás”… kkk

      PS – Não gosto de alfajor! kkkkkk

  10. Nos conhecemos em Boituva no centro de paraquedismo… Parabéns pela experiência, um dia ainda farei uma viagem dessas

    1. Imenso prazer em saber que vc. está acompanhando Lucas! Seja muito bem vindo!

      Obrigado pelos elogios e uma dica… Não demore para realizar seu sonho!

      Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *