Curvas, Oceanos e um Deserto – O retorno ao lar!

Levantei cedo, tomei café rapidamente e estava muito, mas muito ansioso para reencontrar a todos.

Nunca gostei da Rodovia Regis Bittencourt, muito menos de moto e com chuva, assim, uni o útil ao agradável e resolvi trilhar a famosa Rastro da Serpente e suas intermináveis curvas chegando a Capão Bonito em SP onde poderia voltar pela Rodovia Castelo Branco.

Demorei um pouco para conseguir me livrar do trânsito da Capital Paranaense e chegar à estrada que no início mostrou-se atraente… Muitas curvas em um bom asfalto com clima seco e agradável. As curvas são realmente intermináveis… segundo consta, são mais de 1200!

Logo o clima mudou e a chuva se fez presente alternando sua intensidade entre fraca e média, mas o suficiente para acabar com a graça de serpentear a estrada.

Os kms foram passando, o asfalto piorando e o clima também…  Várias vezes fiquei parado na estrada aguardando que os tratores removessem os restos dos incontáveis deslizamentos de terra. Uma viagem cansativa.

2016-01-12 10.58.00 2016-01-12 10.57.56

Cruzando a fronteira do Estado de São Paulo, as coisas pioraram mais ainda, porque o asfalto ficou péssimo e a chuva aumentava mais e mais.

Cheguei em Capão Bonito mais de 5 horas após sair de Curitiba, percorrendo pouco mais de 200 km! Não gostei da estrada, nem da paisagem que é bem sem graça. Sinceramente me arrependi de ter evitado a Regis, pois certamente já estaria em cada naquele momento!

Parei no Bar denominado Porthal Rastro da Serpente e novamente foi uma decepção… Eu achei inimaginável um bar temático para motociclistas que só vende bebida alcoólica! Queria um simples sanduíche com um suco… não tinha! Serviu apenas para bater a foto na placa e seguir viagem!

2016-01-12 13.33.03

Embora desse ponto em diante a estrada fosse um verdadeiro tapete, vim debaixo de um imenso temporal, daqueles que molham até os pensamentos… Essa chuva toda me acompanhou praticamente até a entrada de SP que estava surpreendentemente seca.

Cheguei em casa são e salvo… agradeci à Deus e novamente dei um beijo na minha companheira de viagem me desculpando por tê-la feito sofrer tanto!

A esposa veio me receber ainda no subsolo com beijos e abraços, mesmo eu estando fedido e molhado! Foi um daqueles momentos inesquecíveis!

Entro em casa e encontro os filhos vestindo capacetes e um cartaz me dando as “boas vindas”… Mais um momento daqueles que  certamente jamais esquecerei!

Resta agora descansar e recuperar o corpo para mais um ano que será enfrentado de forma muito mais confiante depois de todos os percalços superados nessa aventura!

Que venham outras! (que aliás já está em mente, mas a esposa nem sonha! kkkk)

Abaixo pequena demonstração do estado do Rastro da Serpente!

 

16 thoughts on “Curvas, Oceanos e um Deserto – O retorno ao lar!”

  1. Muito bacana, RRomagnani. Foi ótimo viajar junto com você estes dias. Descansa e curte a família que estão com saudade do viajante. Mas lembra de colocar as fotos no site… rsrsrs
    Abraços!

    1. Seu pedido é uma ordem Fernando e acabei de atualizar todos os posts com as fotos! Obrigado por acompanhar meu amigo!

  2. Puxa, você deu azar. Pegou bem um dos dias que mais choveu na região. Deve ter visto o noticiário. Tudo em baixo d’água, pontes destruídas e barreiras caindo.
    Por outro lado, bom saber que chegou bem de retorno!

    1. Pois é Renato enquanto estava seco, estava me divertindo, mas com a chuva a graça foi embora! O asfalto da parte Paulista também desestimula nova visita! Felizmente cheguei bem com muitas histórias para contar!

  3. Ola Romagnani, relatos muito inspirador, estou iniciando nesse meio do motociclismo, fiz minha primeira viagem de Ascurra SC a Cambara do Sul RS dia 20\12 em pessoas igual a você que me inspiram, cada postagem eu e minha esposa sentia como se estivesse viajando junto, lado a lado, espero um dia cruzar com o amigo, nessas indas e vindas e dizer que sua viagem fez criar a coragem de alcançar fronteiras ainda mais distantes.

    1. Marcelo é um imenso prazer saber disso! Meu amigo, fiquei muitos anos sem andar de moto (mais de 25) contando desde o acidente que sofri ainda adolescente até a compra da Scooter poucos anos atrás. Tudo aquilo que estava guardado aflorou e sinceramente não me vejo mais sem moto! Comecei a fazer pequenas viagens de moto e fui indo cada vez mais longe. Perdi, ou melhor, ganhei horas e horas lendo inúmeros blogs e fóruns sobre motociclismo e percebi que era minha vez de dar uma contribuição. Fiz este blog (transformado recentemente em site) exatamente para auxiliar e incentivar os amigos motociclistas que assim como eu querem iniciar na arte das motoviagens!

      Se este site te ajudou a criar coragem para alcançar fronteiras mais distantes, eu atingi o objetivo!

      Obrigado por acompanhar e se precisar de qualquer ajuda, conte comigo!

  4. Esse boteco é um lixo, ja passei pela mesma situação, deveria virar uma borracharia, seria mais uril, rsrsrs. Sobre a Serra da Serpente, ja fiz este trajeto três vezes, e não e lugar para ficar observando paisagem, e deliciar nas centenas de curvas, porém você foi infeliz, porque com chuva, ela não é fácil. Bom saber que chegou bem.

    Abs

    1. kkkkkkkkkkkkk Realmente! Não consegui entender como um bar feito para motociclistas só vende bebidas alcoólicas! Pior, quem vai de moto para beber as 9 da manhã (horário que eles abrem!)? Realmente não curti… seria melhor voltar pela Regis, pelo menos chegaria bem mais cedo em casa!

  5. Boa noite RROMAGNANI. Que bom que retornou bem e já está com a família. Na minha opinião vc não teve sorte no Rastro da Serpente. Eu e a garupatroa fizemos o mesmo trajeto em dez/2015, mas com tempo bom. Dormimos em Apiai. Concordo que o trecho paulusta estava com o asfalto muito ruim, mas o que anima naquela estrada é a natureza e principalmente serpentear as curvas. Obrigado por compartilhar, novamente, suas emoções, pois assim conseguimos curtir como se estivessem na estrada ao seu lado. Que venham muitos e muitos passeios. Parabéns.

    1. Muito obrigado Miguel! Realmente a chuva tornou o prazer de serpentear as curvas em tensão e as quedas de barreiras atrasaram bastante. Porém em uma viagem dessa distancia é impossível que o clima não atrapalhe nada! Achei interessante a parte Paranaense e não gostei da Paulista. Andar por buracos realmente não me atrai.

      Obrigado por tudo meu amigo!

  6. Enfim em casa!!!!

    Parabéns pelo desafio vencido, pelo sonho realizado.

    E mais uma vez, obrigado por compartilhar conosco, de forma tão brilhante, essa aventura.

    Qq hora a gente marca um encontra aqui em SP para tomar umas e contar estórias 🙂

    1. O prazer foi meu Thomas! Agora é retomar a rotina porque nem só de aventuras podemos viver… Meu amigo, estou à disposição para marcarmos!

  7. Salve, Rromagnani!! As histórias dessa sua empreitada inspiram tanto a quem está no mundo motociclístico há mais tempo, mas que nunca tiveram a oportunidade de enfrentar um desafio como esse que você enfrentou (e venceu!), mas principalmente àqueles que se iniciaram agora nas duas rodas. Seus relatos nos provam que, por mais planejada que seja uma empreitada, sempre podem haver percalços e são justamente esses percalços que transformam a viagem numa aventura. Parabéns pela coragem, pela conclusão de um projeto (creio que mais que um projeto, um sonho) e muito obrigado por compartilhar conosco tudo aquilo pelo que você passou. Saiba que todos os que acompanharam a sua viagem se sentem aliviados pelo seu retorno, com saúde, e contemplados por, mesmo à distância, dividir essa trip com você. Parabéns!!

    1. Muito obrigado pelas palavras Fernando e o objetivo é exatamente incentivar os amigos à não desistirem dos sonhos. Os problemas sempre ocorrerão, seja por uma distração, como a perda da chave, seja por um erro de planejamento como no caso do Paso Sico, mas são exatamente os problemas que ao serem superados despertam a melhor das sensações… A da superação, da vitória!

      Felizmente tudo deu certo e os problemas hoje são motivo de risadas e histórias. Há uma propaganda que passa na televisão (não me lembro de quem) que fala… Se você tem um sonho VÁ ATÉ O FIM! Foi apenas isso que fiz! Obrigado por tudo!

  8. Parabéns pelos relatos, acompanhei até o fim. Esse bar para motociclista que só vende bebidas alcoólicas me surpreendeu.

    1. Incrível. O site deles é sensacional com uma trilha sonora incrível. Achei que o lugar seria enorme e considerando que abre logo pela manhã, imaginei ter um belo café, almoço, etc… Nada! O bar é pequeno e para comer apenas salgadinhos industrializados. Só valeu pela foto da placa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *