A preparação de uma grande viagem

Hoje falarei um pouco sobre minhas experiências para a preparação de uma grande viagem, seja ela qual for.

No caso estou em fase final dos preparativos para uma viagem de 10.000 km pela América do Sul que terá como ponto alto San Pedro de Atacama no Chile e os preparativos são ao mesmo tempo cansativos e gratificantes.

Preparativo envolve muito mais do que arrumar as malas, envolve preparar corpo, espírito e a inevitável burocracia. Vamos à eles:

Corpo –

Não é preciso ser um triatleta para encarar uma longa viagem, mas é recomendável uma pequena preparação física para garantir que nada irá lhe impedir de chegar ao destino.

Lembre-se que levantar muito cedo e pilotar por longas  horas será a rotina diária.  Alguns alongamentos são muito bem vindos, especialmente das costas e pescoço (partes mais vulneráveis na motocicleta), além de ir acostumando o corpo com o tempo de descanso reduzido e ajustando o relógio biológico a acordar mais cedo.

No meu caso, somei ainda uma dieta restritiva de carboidratos que garantiu alguns quilos a menos para seguir viagem. É incrível como poucos quilos à menos garantem mais vitalidade no dia a dia.

Espírito –

Sim, a preparação mental é igualmente fundamental, já que o viajante passará horas e horas no isolamento do capacete, concentrado apenas em chegar ao seu destino, vendo paisagens diversas e vivenciando situações que nos tiram da zona de conforto.

O isolamento traz um verdadeiro tsunami de sentimentos e emoções, que variam da melancolia à completa euforia variando de pessoa para pessoa.

Particularmente gosto muito de pilotar ouvindo música, permitindo que o espírito saia do corpo. É uma ótima sensação de autoconhecimento.

Burocracia –

Nem tudo são flores nos preparativos… Temos que encarar uma certa burocracia. Aqui o destino influenciará diretamente os cuidados necessários e o que irei listar é aplicável para uma viagem ao Uruguai / Argentina / Chile.

Traçar a rota e reservar hotéis vai muito do gosto pessoal, já que muitos motoviajantes preferem a liberdade de não ter nada reservado. No meu caso, gosto de programação e partirei com todas as paradas pré programadas e hotéis já reservados. Utilizei três sites para isso…  www.decolar.com  www.booking.com  e www.ibis.com  Vai do gosto de cada um.

Quanto aos documentos pessoais SEMPRE viajo com o passaporte, mesmo não sendo obrigatório para estes países. Talvez o costume veio devido à locação de carros onde é exigido ou o passaporte com a habilitação nacional, ou o RG com a permissão internacional para dirigir. Sempre preferi a primeira hipótese. Assim, o passaporte e minha habilitação serão os documentos obrigatórios.

Caso vá com veículo próprio este deve estar no nome do viajante obrigatoriamente. Cuidado com aquisições através de sistema leasing, já que nestes casos o veículo fica em nome da financeira e será necessário uma autorização daquela registrada no consulado. O mesmo aviso vale se o veículo tiver em nome de pessoa jurídica. Se este for seu caso, melhor consultar o consulado dos países para a correta informação.

Carros financiados através de CDC não tem esse problema, já que estão no nome do comprador apenas com o gravame para o Banco, o que não gera maiores transtornos.

Para ingresso no Uruguai e Argentina é necessário fazer o seguro Carta Verde, que pode ser obtido na internet. Fiz o meu neste site http://www.lumaseguros.com.br/cartaverde.asp  com a utilização de boleto bancário. O documento chegará pelos correios.

Para ingresso no Chile é necessário o SOAPEX, obtido aqui http://www.magallanes.cl/MagallanesWebNeo/index.aspx?channel=8212  Atenção… Aqui uma conta no Paypal será necessária, já que não é possível pagar com cartão de crédito, nem com boleto bancário. O SOAPEX é emitido eletronicamente.

Estes seguros são o equivalente ao nosso DPVAT e sem eles é proibido trafegar com o veículo naqueles Países.

No meu caso, irei do Uruguai para a Argentina de Buquebus, uma espécie de balsa super rápida. Comprei antecipadamente as passagens minha e da moto  aqui https://www.buquebus.com.uy/BQBWebV2/web/Home pagando com cartão de crédito. Vale uma ressalva… esta compra somente é disponibilizada no site  três meses antes da data desejada e o preço é bem salgado… (Em rápidas contas quase R$ 400,00 só ida!).

Dinheiro em espécie é muito bem vindo, principalmente na Argentina onde os postos de combustível em sua maioria não aceitam cartão de crédito.

No Chile, é muito vantajoso pagar o hotel com Dollar e apresentar o passaporte… Vc. terá o desconto do imposto que será algo próximo de 19% uma economia e tanto!  Nas lojas peça o “desconto para turistas”… em algumas delas vc. também terá bons descontos!

Na Argentina o imposto é restituído em espécie dentro do posto do equivalente à Receita Federal dentro do aeroporto. Se for de carro/moto, é bom se informar antes do retorno para o Brasil.

Na Argentina há uma diferença de cotação incrível (quase 100%) entre o cambio oficial e o negro. Se for ficar muitos dias é bom procurar formas alternativas de trocar $$$.

Não se esqueça de desbloquear seu cartão de crédito para utilização no exterior e se tiver mais de um cartão, leve todos. Acredite, levar um único cartão de crédito pode ser extremamente problemático, visto que não raras são as vezes que nossas amadas instituições bancárias bloqueiam a utilização mesmo cientes da viagem. Todo cuidado é pouco.

No Uruguai e no Chile, Reais não são aceitos e na Argentina são muito desvalorizados. Levar alguns Dólares é ótima dica.

Por hora é só!

No próximo post falarei sobre a bagagem!

7 thoughts on “A preparação de uma grande viagem”

    1. Sinceramente eu não arriscaria. Muitos lugares no Uruguai não aceitam Reais, principalmente em Punta. Obrigado Renato, espero que esteja gostando.

  1. Boa noite Roberto!

    Não estou aqui para fazer propaganda, mas em minha última viagem a Buenos Aires, eu sacava dinheiro nos caixas eletrônicos, e o valor era debitado diretamente em minha conta corrente no Hsbc. Quem sabe o banco que voce possua conta, não ofereça essa possibilidade!

    1. Sim, também saquei ontem. Porém, antes da mudança que acabou com a diferença de cotação, só era possível sacar pelo cambio oficial. Obrigado pela dica.

  2. Oi Romagnani, ótimos esclarecimentos e dicas. Algumas dúvidas:
    -sobre o veiculo estar em nome do condutor; no meu caso as duas motos estão em nome do meu esposo, iremos juntos nas duas motos. Isso pode vir ser um problema?
    -a balsa é obrigatória para entrar na Argentina?

    Desculpe as “noobices” será nossa primeira ida ao Atacama. Abs e sucesso. 🙂

    1. Olá Daiana!

      O fato das motos estarem em nome de seu marido não é problema, desde que ele esteja junto obviamente! Kkk

      O problema maior é se o documento da moto estiver em nome de terceiro, ou em nome de pessoa jurídica, como o leasing por exemplo em que o bem fica em nome da financeira!

      Quanto à entrada na Argentina, se for cruzar o Uruguai até Colônia de Sacramento, terá que usar o Buquebus, que demora uma hora e meia aproximadamente. A alternativa é contornar o rio, o que significa 400kms a mais… Se não quiserem usar o Buquebus, sugiro mudar a rota!

      Continuo à disposição para o que precisar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *